Passatempo

Diário - 04/2005

Casal

Fêmea (Malhada dominante) X Macho (Cinza normal)

Histórico

- 23/04/2005

* 09:10

Hoje resolvi colocar o ninho de volta na gaiola do meu casal de periquitos. Tomei essa decisão pois ontem a minha segunda periquita acidentalmente vôou para longe de seus companheiros e perdeu-se no céu. A outra fêmea já está frequentando o ninho e penso que não tardará muito até iniciar um novo ciclo de posturas. Irei registrar a partir de agora tudo que ocorre, sempre que presenciar algo relevante.

Construi um ninho que possui duas aberturas além daquela por onde os periquitos entram e saem. Essas aberturas ficam nas extremidades mais opostas do ninho e estão obstruidas com uma placa plástica opaca. Na extremidade mais próxima do local onde os ovos são postos há também uma placa plástica transparente mais interna, colocada de tal forma que posso retirar a placa opaca sem incomodar a fêmea e observá-la bem de perto. Espero com isso prensenciar o instante exato de cada postura e eclosão dos ovos.

- 24/04/2005

* 13:07

A fêmea já visita o ninho com bastante frequência e o ritual de bicá-lo como se quisesse moldá-lo a seu gosto repete-se o tempo todo. Quando deixo a porta da gaiola aberta ela sai e comporta-se como se estivesse inspecionando o ninho por fora, além de também querer moldá-lo externamente com bicadas. O macho costuma ir até a entrada do ninho, mas ainda não o vi em seu interior e espero que continue se portando assim.

- 30/04/2005

* 13:24

Hoje foi dia de faxina e enquanto removia os poleiros e comedouros da gaiola o casalzinho observava tudo tranquilamente de dentro do ninho. Já estão um tanto íntimos, mas ainda não os vi namorando. O macho tem estado bastante tranquilo, não incomodando a fêmea como ocorre no período de postura. Ela por sua vez tem tratado dele muito bem e em vários momentos flagrei-a ajeitando cuidadosamente as penas da face e cabeça de seu companheiro. Após a limpeza da gaiola resolvi brincar um pouco com eles e consegui facilmente que a fêmea subisse em minha mão. Afastei-me um pouco do macho e para minha supresa ele voou para junto de sua companheira. Por um longo período ficaram os dois tranquilamente empoleirados na minha mão. Foi a primeira vez que isso ocorreu e alegrou-me muito.

- 06/05/2005

* 09:10

A fêmea aparenta estar criando um vínculo mais forte com o ninho, visitando-o com mais frequência e não tolerando muito a presença do macho. E o hábito de inspesioná-lo pelo lado de fora da gaiola está mais assíduo. Sendo muito fácil perceber quando ela deseja que a porta da gaiola seja aberta.

- 08/05/2005

* 10:20

Os periquitos alimentam-se mutuamente e o macho já executa os ritos de acasalmento, é possível que já estejam acasalando-se, entretanto, não presenciei nenhuma cópula ainda. Hoje com eles fora da gaiola e empoleirados em minha mão, o macho insinuou-se para sua camponheira de tal maneira que acabou sendo correspondido, e por pouco quase iniciaram uma cópula bem diante do meu nariz.

- 14/05/2005

* 16:26

Fêmea tem ficado um tempo maior dentro do ninho e o macho está cada vez mais agitado e insistente para acasalar. Dentro do ninho não tem pertubado a fêmea, mas ela as vezes fica aborrecida com ele.

- 15/05/2005

* 23:27

Hoje a fêmea permaneceu quase todo o tempo dentro do ninho e há uma grande chance da postura iniciar ao longo desta semana, mais provavelmente no final. O macho também passou algum tempo lá dentro com a companheira e isso preocupa-me. Preferiria que ele se mantivesse fora do ninho, no máximo indo até a entrada alimentar a fêmea. Se ele continuar comportando-se assim, terei que separá-los como fiz na última postura. Fora essa preocupação, tudo tem transcorrido tranquilamente. A fêmea está muito dócio e além de já subir na minha mão expontaneamente fica bastante à vontade, como se estivesse num poleiro dentro da gaiola. O macho também não faz nenhuma cerimônia, mas só vem até minha mão quando a fêmea já está nela. A cada dia encanto-me mais com essas aves!

- 20/05/2005

* 10:09

Até agora nenhuma novidade muito relavante, apenas o fato de hoje ter notado algumas fezes com tamanho 2 a 3 vezes maior do que é costumeiramente normal. Com certeza tais fezes pertencem a fêmea que em períodos de postura muda seus hábitos alimentares uma vez que terá que passar períodos prolongados dentro do ninho, deixando-o apenas para comer e defecar. As fezes com volume maior provavelmente são um indício de que a fêmea está próxima de iniciar a postura, entretanto, ainda não presenciei nenhum acasalamento. O macho, porém, tem estado bastante agitado e já persegue a fêmea com alguma frequência. Talvez a postura não comece esta semana, mas dificilmente passará da próxima. Preciso, entretanto, estar atento, pois na última vez fui surpreendido com um inesperado primeiro ovo.

- 22/05/2005

* 11:49

Hoje a fêmea passou a manhã inteira cuidando do ninho, muitas vezes sendo importunada pelo macho. Agora estão os dois sossegados lá dentro. Ela já está se comporta como uma mãe protetora, o tempo todo inspecionando e atenta a qualquer coisa estranha que se aproxime do ninho. Até o momento, porém, não presenciei nenhum acasalamento e isto está me deixando intrigado.

- 28/05/2005

* 18:05

Ainda nada de ovos e a meu ver a postura já deveria ter iniciado. O comportamento do casal é típico de ínicio de postura, a fêmea já passa a maior parte do tempo dentro do ninho, saindo poucas vezes durante o dia e o macho visitando-a frequentemente para alimentá-la. Além disso, ao que parece, hoje ela irá passar a noite no ninho o que é uma forte indicação de que a postura iniciará em um dia ou dois, e assim espero que aconteça.

- 29/05/2005

* 10:23

Hoje, por duas vezes, vi o casal quase copulando, sendo que em uma das vezes a iniciativa partiu da fêmea. Ela já permanece o tempo todo dentro do ninho, saindo apenas por alguns instantes e está noite realmente dormiu lá dentro. De manhã encontrei um volume grande de fezes no fundo da gaiola e estou na espectativa da chegada do primeiro ovo para hoje ou amanhã.

- 03/06/2005

* 08:20 --- 1º OVO

Estava começando a ficar preocupado com a demora para a chegada do primeiro ovo. Hoje cedo ao inspecionar o ninho tive um grata surpresa: lá estava o tão esperado ovo. Não sei se foi a pouco ou ontem e, portanto, terei que esperar o próximo para saber. Assim que tiver uma oportunidade irei marcá-lo.

* 15:04

Acabaram de ter uma briga terrível, felizmente estão os dois bem. O macho acabou levando a pior, chegando a sangrar um pouco debaixo do bico. O ovo sofreu um pequena e leve escoriação e provavelmente não deverá vingar. Separei os brigões e agora terei que acompanhar o ciclo de posturas bem de perto, juntando-os sempre que a fêmea demonstrar necessitar acasalar.

- 04/06/2005

* 06:50

Agora pouco abri a entrada da gaiola da fêmea e ela passou para a gaiola do macho, lá acasalaram-se e em seguida ela retornou a sua gaiola e imediatamente para o ninho. De agora até o final do ciclo de postura terei que manter essa rotina de vigília. Na postura anterior, desse mesmo casal, este expediente funcionou bem e espero que novamente dê certo. Tenho um casal de periquitos bastante complicado mas ainda sim me dão grande satisfação e alegria. Espero que minha dedicação, desta vez, seja premiada com alguns filhotes.

* 14:15 -- 2º OVO

Chega o segundo ovo, o que significa que o primeiro foi posto no dia 02/06 como suspeitava. Continuarei mantendo os periquitos em gaiolas separadas, só unindo-os nos dias de postura para acasalamento. Preciso agora marcar o novo ovo e aguardar o próximo. Apesar da briga, tenho por mim que o macho não está tão agitado e afoito como nas outras posturas. As vezes até parece demonstrar um certo desinteresse aos galanteios da companheira. Espero que não seja nada demais e que os ovos estejam sendo fertilizados por ele.

- 05/06/2005

* 10:33

Por hoje provavelmente não terei nenhuma novidade para registrar visto que a próxima postura acontecerá só amanhã. Mas quero registrar uma nova hipótese para explicar as brigas do casal. O macho é muito afetuoso e dedicado, mas tem um temperamento um tanto possessivo. Não compartilha o comedouro, bebedouro, frutas e verduras, e mesmo de papo cheio não deixa a fêmea alimentar-se sossega. Ele não chega a impedi-la e quando consegue acaba alimentando-a no bico. A companheira parece não incomodar-se com a avareza do companheiro, entretanto, quando ele tenta fazer o mesmo em relação aos ovos ela reage com vigor, movida por seu instinto de proteção. O resultado, uma briga violenta que se não for apartada pode levá-los a morte. Nesta última novamente precisei separá-los com a mão e não foi simples. E o curioso disso tudo é que não guardam nenhum tipo de rancor, uma vez que instantes após terem sido apartados estão se relacionando bem novamente.

* 15:06

Como estava achando o macho meio apático e quieto demais resolvi juntá-lo com a fêmea para verificar se havia algo de errado. Acabei constatando que está tudo bem e que ele deveria apenas estar um pouco sonolento por, talvez, não ter dormido direito esta noite. Num determinado momento após a fêmea já ter deixado o ninho algumas vezes e sempre aparentando estar insinuando-se, o macho sem nenhuma cerimônia respondeu aos galanteios da companheira e por três vezes copularam. Isso tranquilizou-me bastante.

Quando estou por perto, tenho mantido o macho na mesma gaiola que a fêmea, mas não tenho permitido a ele entrar no ninho. Quando não estou, coloco-o em outra gaiola. Como pendurei o ninho na entrada da gaiola pelo lado de fora, posso controlar o acesso a ele levantando e abaixando a grade móvel da gaiola. Quando a fêmea deseja sair, ela fica bicando a entrada do ninho então é só puxar a grade para desobstruir a passagem. Quando o macho não está na gaiola mantenho a passagem sempre aberta. Não tive nenhuma dificuldade para impor essa rotina ao casal e eles não demonstraram nenhum incômodo com toda essa minha intromissão. Além disso, vez por outra, removo a placa opaca do lado oposto do ninho onde a fêmea choca os ovos e através da placa transparente que permanece posso observar todo seu interior. Nenhuma objeção a mais esta intromissão da minha parte é demonstrada pela protetora e cuidadosa mãe.

* 16:09

Algo curioso acaba de acontecer! A fêmea deixou o ninho para alimentar-se e nesse meio tempo o macho entrou no ninho. Como estava curioso em saber de que forma ele iria se comportar lá dentro, não o impedi. O que vi, foi uma cena um tanto paternal. Ele cuidadosamente mas um tanto sem jeito, arrastou os ovos com o bico para debaixo de si como se quisesse protegê-los ou chocá-los. Alguns instantes depois deixou o ninho e a fêmea retornou. Creio que ele não representa nenhum perigo aos ovos, a não ser quando inicia um briga com a fêmea. E ela também não demonstra nenhuma preocupação com a presença dele no ninho. O fato de brigarem continua, entretanto, sendo para mim, um mistério.

Novamente a fêmea deixou o ninho para comer e o macho lá foi vigiar os ovos. Pela quantidade de sementes que comeu, penso que está se preparando para o jejum noturno. Ao retornar o macho ainda estava lá e permaneceu ao lado dela, só saindo por minha intervenção ao notar um certo descontamento da fêmea com a presença dele.

- 06/06/2005

* 18:00 --- 3º OVO

Inspecionando o ninho constatei que o terceiro ovo foi posto. A postura ocorreu entre 15:00 e 18:00, quando estive ausente.

- 08/06/2005

* 11:10

Acabaram de acasalar e essa foi a segunda vez hoje, o que é uma indicação de que um 4º ovo estar por vir. Hoje permiti ao macho entrar no ninho e ele mais a companheira comportaram-se bem juntos. Entretanto, como estou bastante receoso quanto a uma nova briga, espantei-o algum tempo depois.

* 13:28

Fêmea saiu novamente para copular e também para alimentar-se. Retornou ao ninho em seguida.

* 16:05

Novamente deixou o ninho, desta vez para alimentar-se. Com a insistência do macho, acabou acasalando de novo.

* 17:10

Ainda nenhum ovo e a fêmea novamente saiu para alimentar-se. O curioso, é que o macho, como sempre, cria uma grande dificuldade para que ela faça isto. Observando-os atentamente fiquei com a impressão de que o macho faz isto para, de certa maneira, forçá-la a acasalar. Desta vez, copularam três ou quatro vezes e sempre após o ato ele a alimentava generosamente. De volta ao ninho e pela maneira como está se portando, creio que o ovo deva estar a caminho.

* 18:11

Nenhum sinal do ovo e isso me deixa um pouco apreensivo pois talvez a fêmea esteja com alguma dificuldade para expeli-lo. Aparentemente ela não demonstra estar atravessando qualquer tipo de adversidade.

- 09/06/2005

* 17:20

Ao que tudo parece, o ciclo de postura irá terminar com três ovos apenas. O que talvez seja um indício de que a fêmea necessita de um bom descanso, afinal, só nesse meio de ano já somam três posturas, todas elas com atribulações diversas. Não devo exigir muito da minha amiga, pois ela é apenas uma inocente ave. Apesar de não acreditar que o primeiro ovo irá vingar, devido as escoriações que sofreu em virtude da briga do casal, tenho esperança de que o dois demais ovos venham a eclodir. Bem ou mal, agora só me resta esperar o desfecho dessa história.

- 10/06/2005

* 11:15

Como ocorre frequentemente a fêmea deixou o ninho para realizar suas necessidades básicas. A única coisa incomum foi o fato de ter acasalado diversas vezes. O macho a montou umas 5 ou 6 vezes e em todas o coito foi até o final. Não observei tal comportamento nas demais posturas, que quando encerradas também encerravam as sessões de acasalamento. Esses bichos são mesmo imprevisíveis! O choco está ocorrendo tranquilamente e a fêmea, como sempre, cuidadosa com seus ovos. O macho, quando deixo a grade que dá passagem ao inteior do ninho levantada, não perde tempo e se mete lá para dentro. Tem se portado bem, mas em viturde das brigas anteriores não permito que ele permaneça lá por muito tempo.

- 20/06/2005

* 18:15

O primeiro ovo deveria estar eclodindo hoje, mas como desconfiava que ele não iria vingar devido a ranhura que sofreu quando os periquitos brigaram, resolvi inspecioná-lo. Colocado contra luz constatei o que já imaginava, ele secou sobrando apenas a parte sólida da clara e da gema, que coladas à casca fazem com que ovo fique numa mesma posição. Os outros dois ovos estão cheios - não posso afirmar com certeza pois é primeira vez que chego nesse ponto de uma criação - mas parece que o que consigo ver através da luz é um embrião já em fase final de desenvolvimento.

- 22/06/2005

* 18:50

Até agora nada do segundo ovo eclodir, o que me deixa um tanto desanimado e bastante receoso quanto ao terceiro também. Será que novamente não terei a satisfação de vivenciar um nascimento.

- 24/06/2005

* 09:20

Hoje resolvi inspecionar o 2º ovo e tive um grata surpresa. Ele estava com uma pequena ranhura na casca que não possuia e resolvi abri-la. Pela pequena fresta pude ver o pequeno filho lá dentro. Vivo! Recoloquei o ovo de volta no ninho e irei esperar mais um pouco. Tenho receio do filho não conseguir sair e morrer lá dentro de fome, uma vez que deveria ter saido já a dois dias.

* 18:30

Com relação ao 3º ovo, nenhuma novidade e provavelmente irá atrasar como o segundo. Este teve a fissura na casca aumentada pela fêmea, e o pequeno periquito continua lá dentro, vivo, respirando. Como não sei o que fazer a respeito e ainda não consegui obter nenhuma informações, irei deixando as coisas por conta da natureza.

- 25/06/2005

* 08:16

Infelizmente o filhote do 2º ovo amanheceu morto sem ter se quer saido do ovo. Já o terceiro parece ser mais forte, pois amanheceu piando, coisa que não percebi o outro fazer. Entretanto, ainda encontra-se dentro do ovo que está com uma grande abertura. Torço muito para que sobreviva.

* 10:20

Por achar que talvez o filhote do 3º ovo também não iria conseguir deixar o ovo e acabar morrendo, resolvi ajudá-lo. Retirei o pequeno do ninho e com cuidado terminei de quebrar o ovo. Com um cotonete embebido em água morna consegui remover mais facilmente a mebrana interna do ovo que estava bastante aderida ao corpo dele. Antes de devolvê-lo a mãe limpei um pouco o ninho que já estava bastante sujo. Por algum tempo observei-os até constatar que a mãe estava a cuidar e proteger o filhote. Acho que de agora em diante é com ela.

* 18:20

O filhote parece estar bem, entretanto, está de papo vazio. Não sei se a mãe já deveria tê-lo alimentado e isto me preocupa. Espero que seja normal, pois não sei como proceder em tal situação. Contactei alguns fóruns especializados de discussão mas ainda não obtive nenhuma resposta.

* 07:14

O filhote amanheceu morto, não sei por qual motivo, mas caso tenha sido inanição, uma vez que parace não ter sido alimentado pela mãe, talvez com presença do macho isso não tivesse ocorrido. Porém, só agora isso me ocorreu. Numa próxima postura experimentarei juntar o macho com fêmea após o nascimento do primeiro filhote. Agora já estão juntos pois a fêmea amanheceu fora do ninho e chamando o companheiro. Bastou eu abrir a gaiola dela para que imediatamene fosse para ao encontro dele. Bem, finalizo aqui mais este diário.