Passatempo

Diário - 11/2006

Casal

Fêmea (Malhada) X Macho (Malhado)

Trata-se de um casal incestuoso, mãe e filho. A fêmea é um tanto temperamental e arisca não tolerando a presença do macho no ninho. Normalmente quando ele está lá acabam brigando o que ocasiona escoriações e até quebra dos ovos.

Resolvi que dessa vez irei remover o ovo assim que for posto para então recolocar todos juntos ao final da postura, logo após separar o casal.

Pelo que andei lendo sobre manejo de ovos tal procedimento é muito comum na criação de outras espécies de aves. Se mantindo numa temperatura inferior àquela que desencadeia o desenvolvimento do embrião o ovo pode ser mantido fora do ninho por algum período.

Histórico

- 30/11

* 17:10 --- 1º OVO

Ao inspecionar o ninho encontrei o primeiro ovo. Ele foi posto a pouco uma vez que havia inspecionado o ninho umas 2 horas antes. A agitação das as aves foi o que me levou a verificar o ninho. Isso sempre ocorre quando a fêmea inicia a postura, ficando bastante arredia com o macho. Não percebi em dias anteriores acasalamentos o que me fez ficar surpreso ao deparar-me com um ovo. Vou procurar observá-los todas as manhãs bem cedo de agora em diante quando normalmente o acasalamento ocorre.

Retirei do ninho e marquei o ovo com um lápis de grafite. Estou armazendo-o num comedoro com um pouco de sementes e com o lado mais estreito para baixo, como recomendado no artigo que li.

- 01/12

* 16:20

Resolvi colocar um ovo ruim no ninho para não alterar muito o rotina normal de postura. Assim que coloquei o ovo a periquita imediatamente passou a chocá-lo. Irei mantê-lo lá até o final da postura.

- 02/12

* 16:00 --- 2º OVO

Procedi com o segundo ovo da mesma maneira que fiz com o primeiro, trocando-o por um ovo ruim. As aves continuam em desentendimento e o macho sempre que entra no ninho, aparentemente para tentar acasalar, deixa a fêmea bastante agitada.

- 04/12

* 16:20 --- 3º OVO

Como esperado, mais um ovo. A fêmea parece estar mais tolerante, mas ainda não flagrei-os acasalando. Acho que não está ocorrendo, talvez por inesperiência do macho ou falta de afinidade por parte da fêmea.

- 06/12

* 13:30 -- 4º OVO

Ao que parece veio mais cedo que os demais. Ainda não presenciei acasalamentos, espero que estejam ocorrendo na minha ausência. Li num outro artigo que é preciso mudar os ovos de posição diariamente, exatamente o contrário do é dito no primeiro. Passei a proceder conforme o último, vamos ver no que vai dar.

- 08/12

* 13:20 --- 5º OVO

Mais um ovo veio! E pelo comportamento da fêmea acho que um sexto também virá. Hoje, pela primeira vez desde forneci a caixa ninho, flagrei o casalzinho num momento bem íntimo, logo após a postura.

- 10/12

* 15:00 -- 6º OVO

Não esperava por mais um ovo, mas veio. Como acho improvável que mais um seja posto separei o casal e recoloquei os ovos para serem chocados. A fêmea, apesar de toda minha intervenção, imediatamente acomodou-os sob si cuidadosamente. Agora só me resta aguardar e torce para que algum tenha sido fertilizado. Começarei a contagem a partir de hoje, o que significa se tudo correr bem, que no dia 28/12 os ovos estarão, todos juntos, eclodindo.

- 12/12

* 22:00 -- 7º OVO

O inesperado ocorreu! Ao acender a luz a periquita saiu do ninho, provavelmente pensando já ser dia. Aproveitei então para dar uma olhadela nos ovos e surpreso fiquei com mais um ovo. É a primeira vez que essa ave chega a tal marca. Uma única outra vez botou 6 ovos, em todas as demais posturas não passou da marca de 5 ovos quando atingida. Se tudo correr bem esse ovo irá eclodir dois depois dos demais. Espero não ser supreendido novamente amanhã, oito ovos seriam demais e complicado de serem chocados por uma única ave. Com sete já está sendo difícil para ela mantê-los todos sob si.

- 28/12

* 07:15

Fatalidade! O casal de agapornis que possuo e que já demonstravam algum interesse por um ninho hoje escapou de sua gaiola e atacaram a periquita. Ela, movida por seu forte instinto materno, protegeu o ninho e os ovos com muita coragem, mas infelizmente ficou gravemente mutilada. Perdeu 60% da parte inferior do bico e praticamente 100% da parte superior. Leva-a logo para ser examinada por um veterinário, mas ele não fez muito por ela, apenas aconselhou-me a oferecer alimentos em forma de papa e disse que talvez o bico crescesse novamente. Verifiquei os ovos e nenhum estava fértil, mas isso não importa mais.

- 30/12

* 09:35

Hoje encerro esse diário com muita tristeza, a minha querida amiguinha amanheceu morta. Provavelmente desnutrida por não conseguir alimentar-se adequadamente, mesmo tendo eu tentado alimentá-la de várias maneiras.